• Luiz Fraga

O novo motor do grupo JAGUAR LAND ROVER

Atualizado: 7 de Out de 2019

Nomeado de INGENIUM este revolucionário motor de combustão interna (MCI) é o primeiro "genuinamente" fabricado para equipar somente os veículos da linha JLR.


Mas será que a fabricação de um MCI (movido a diesel ou gasolina) não está um pouco "fora de moda" especialmente na Inglaterra onde o Governo proibiu a fabricação de todos os MCIs a partir do ano de 2040?


Como vimos em nossa matéria anterior, o grupo JLR foi responsável pela produção de aproximadamente 600.000 veículos em 2017, já não era sem tempo que o grupo investisse em um propulsor próprio!


O propulsor LION (associação FORD PEUGEOT CITROEN JAGUAR e LAND ROVER) já não tinha suficiente produção para suprir as necessidades do grupo, especialmente devido ao aumento nas vendas. Um "buffer" (reserva técnica) teve que ser feito pelo grupo JLR para poder suprir a demanda de seus All New Discovery; Range Rover Sport, Velar e Range Rover Vogue que usam em larga estes propulsores a diesel, tanto nas versões 2.7 como nas 3.0 (V6); 3.6 e 4.0 (estes últimos V8) em suas diversas versões de potência.


Com a grande diminuição de peso nas novas plataformas, que passaram dos 2.400 kgf para 2.000 kgf (os carros “emagreceram” 400 kg!!!), foi possível adotar motores menores (processo chamada de “downsizing”), gerando economia considerável de combustível e consequentemente menor emissão. Esta é a tendência mundial e o grupo JLR não poderia ser diferente.


A nova geração INGENIUM está sendo produzida em uma planta completamente nova em Wolverhampton (UK, envolvendo investimentos de 500 milhões de libras esterlinas) e também em uma planta na China, um dos maiores mercados compradores de veículos do grupo JLR.

Tecnologia embarcada


Os novos motores tem características inovadoras a saber:


  1. Redução no atrito (o chamado "peso morto") do motor (estimado em 17% menor que o 2.2 diesel anterior)

  2. Termostato com controle eletrônico o que permite um maior controle da temperatura do motor, aquecimento mais rápido, e consequente diminuição sensível nas emissões

  3. Bomba de água com fluxo variável

  4. Bomba de óleo com fluxo variável, o que auxilia na lubrificação em toda a gama de rotações e na diminuição do consumo de energia

  5. Controle do comando de válvulas continuamente variável

  6. Injeção BOSCH de alta pressão, gerando muita potência com pouca emissão

  7. Coletor de escape integrado à um conjunto de turbos gêmeos com separação das fases de exaustão dos cilindros

Todas estas características técnicas permitiram aumento da potência aliada à uma curva de torque que privilegia as baixas rotações, possibilitando ainda que as emissões se encontrem dentro do padrão europeu vigente EURO VI


Uma das versões mais potentes do INGENIUM (a gasolina) está fornecendo perto de 290 HP!


Number

Os números de torque dos motores a diesel, mesmo nas versões mais “calmas”, é digno de nota! Lembrando sempre que a versatilidade dos motores é tanta que o grupo conseguiu desenvolver os propulsores nos dois ciclos (DIESEL e OTTO) com um ótimo rendimento em ambos.



Os motores e os carros



O motor INGENIUM é muito flexível permitindo a sua montagem longitudinalmente (como na ALL NEW DISCOVERY e RANGE ROVER VELAR) e transversalmente (como no DISCOVERY SPORT e no EVOQUE).


O INGENIUM fez o seu “debut” em alguns modelos da Jaguar e atualmente equipa os modelos DISCOVERY SPORT e EVOQUE (da linha LAND ROVER), além de algumas versões do RANGE ROVER VELAR e ALL NEW DISCOVERY.


Os planos da JLR são de investir algo perto de 3,5 bilhões de libras esterlinas em projetos de novos veículos, o que deve incluir também veículos elétricos e híbridos (normais e plug-in) em sua linha para os próximos 4 anos, alguns deles já na linha de produção.



A versão MILD HYBRID



A hibridização é a única maneira para se atingir a média de emissões de CO2 que os países desenvolvidos e seus mercados exigem das montadoras.


Uma versão híbrida do EVOQUE foi lançada recentemente, permitindo, segundo a JLR, uma economia de até 6% em consumo e emissões muito abaixo das versões a diesel e a gasolina.


O sistema START/STOP inteligente permite ao alternador (acionado por correia, sistema apelidado de BiSG) aproveitar a energia das frenagens/desacelerações para a carga da bateria de 48V, aumentando a autonomia da mesma e sua vida útil.


Com um pequeno aumento na distância entre eixos (o que melhorou o conforto interno) foi possível instalar as baterias de Litio (que podem armazenar 200 Wh em energia) e um conversor DC/DC, permitindo carregar a bateria de 12 V (tradicional) e a bateria de 48 V independente da situação.

No painel todo o sistema pode ser monitorado dando ao motorista uma noção de como está a condição da bateria e “dicas” de condução econômica, para aumentar a autonomia elétrica e diminuir o consumo de combustível.


A cerca de 17 km/h o motor a combustão interna (MCI) se desliga automaticamente, deixando a tração para o motor elétrico instalado.


A versão MILD HYBRID estará disponível usando toda a gama de motores Ingenium.


O irmão “mais velho” do EVOQUE (Range Rover Sport) já possui uma versão plug-in híbrida (que estreou no famoso “Dragon Challenge”)

mas a versão que fez o desafio é equipada com um motor maior, mas existe à venda uma versão PHV equipada com o motor INGENIUM de 300 HP.

O Ingenium é um passo muito grande que o grupo JLR dá na direção da estabilidade, tanto da produção quanto do desenvolvimento. Todas as outras montadoras produzem seus próprios motores, a JLR agora com o aumento nas vendas (veja edição XX) precisava se livrar dessa “amarra” para crescer ainda mais no mercado internacional.

Não sabemos como será e nem quando será lançada a versão nova do DEFENDER mas ele certamente será equipado com o motor INGENIUM em suas mais diferentes versões.


Até a próxima.

0 visualização
social-01-512.png
Receba nossas novidades em seu e-mail!

SIGA NOSSO INSTAGRAM

@thespecialist_service

  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco