• Setalha Digital

Eu e minhas Discoveries 

A primeira Discovery que dirigi foi uma emoção danada, era um modelo 1992, vermelho (só haviam chegado no Brasil as cores vermelho, verde e branco, sólidas e com rodas em aço). Eu estava na concessionária na época, fui buscar no Armazém Alfandegado e a levei para fazer o PDI (Pre Delivery Inspect - Inspeção Pré Entrega - na tradução ao pé da letra, que era feito em uma empresa chamada AUTO4).

Discovery 1992

Esta empresa ficava na Lapa e os carros estavam na Marginal Pinheiros (no final da Marginal, perto da Av. Interlagos).


Para mim, que não estava acostumado com carros mais “premium”, pegar aquele Discovery foi muito legal, lembrando que o carro que eu andava no dia a dia era um Serie 3 com 88 polegadas e adaptado com motor de Opala 4 cilindros.


Já esta Discovery tinha um motor de 115 HP, diesel, com 2,5 litros, modelo que se chamava 200 Tdi. Uma particularidade dela é que o câmbio era um LT77, diferente dos mais atuais (de 1995 em diante), ele tinha 5 marchas também mas a marcha à ré era ao lado da primeira marcha e não “abaixo” da quinta marcha como nos R380.


Motor 200 Tdi

Andei bastante com este carro, mas por força do destino me separei dele em 1995!


Abri a oficina em 1998 junto com minha esposa, nunca tivemos sócios como a maioria sabe. Em meados de 2002, apareceu uma Discovery 1994 para venda, com um preço bastante convidativo, ela estava bem rodada e tinha diversos problemas, mas acabamos comprando o carro.

Discovery 1994

Depois de uma pequena revisão, saímos para uma “pequena” viagem exploratória (pra conhecer melhor o carro hehe) de 800 km, detalhe, fomos e voltamos no mesmo dia. O carro estava ótimo para quem estava acostumado, de novo, a andar de Serie 3, mas tinha muitos problemas mecânicos e isso a gente foi arrumando devagar porque o investimento era muito alto.


Fizemos muitas viagens com este carro, uma delas a mais emblemática (a nível de Off Road) de minha vida, quando depois de conhecer grande parte do Jalapão, atravessamos a Ilha do Bananal. Foram 145km em “apenas” 14 horas com direito à muita emoção!


Jalapão - Ilha do Bananal

Depois de um tempo com ela, resolvemos vender (ela nos prestou muitos serviços e sou muito grato por todo o tempo em que ela me serviu lealmente). Uma outra Discovery 1 bem mais nova (1999) apareceu para compra e nós resolvemos “abraçar”.

Discovery 1

Este modelo foi lançado em 1994 como modelo 1995 e era chamado na época de NEW DISCOVERY. Quando eu ainda estava na concessionária participei do lançamento deste carro, nossa concessionária e mais 20 Land Rovers fizemos uma viagem até o Hotel Vale dos Veados que fica na Serra da Bocaina. Lá o pessoal da organização havia feito uma pista com diversos desafios Off Road para o teste, foi muito divertido e a repercussão foi muito boa para a marca e para as concessionárias.

Serra da Bocaina

Com a minha “Azulona” (que, detalhe... comprei com motor fundido) fizemos muitas viagens, este era um carro realmente gostoso de andar. Como eu a comprei com o motor danificado, fiz uma retífica e adaptação para 2,8 (motor Powerstroke), o motor ficou mais elástico, com mais torque!


Vendemos ela porque apareceu uma Discovery 3 TDV6 (diesel) com motor fundido para venda. Com o dinheiro da venda da Disco anterior, conseguimos comprar a D3 (uma prata, comigo até hoje) e também um motor parcial novo, que logo montei neste carro. 


Discovery 3 TDV6

Hoje, esta Discovery 3 é meu carro predileto! Uso ela no dia a dia, já rodei mais de 70.000km com ela desde que troquei o motor (desde 2012, eu rodo pouco - moro perto de casa) mas este é o carro que eu escolho quando tenho que viajar longe (com ele fui para a Chapada Diamantina em 2019 por exemplo - ida e volta 4.000 km). É confiável, desde que feitas as manutenções adequadamente - coisa que sempre fazemos, e que, tenho certeza, ainda nos dará muito prazer!

Chapada Diamantina

Enfim, entre todos os Land Rovers que eu andei até hoje (considerem que ando nos Land Rovers desde 1972 quando meu pai comprou o primeiro dele) a Discovery 3 é o melhor carro na minha opinião!


O meu próximo Discovery? Acho que será o novíssimo modelo Discovery Sport Mild Hybrid. Sempre tive uma queda por carros elétricos ou híbridos, isso começou muitos anos atrás, em meados de 1985 quando fiz uma grande pesquisa em carros elétricos da empresa GURGEL que fabricava um veículo totalmente elétrico chamado ITAIPU.

Discovery Sport Mild Hybrid

O Mild Hybrid (na tradução ao pé da letra “hibrido leve”) é um carro mais movido ao motor a combustão (MCI) do que elétrico. No entanto, este tipo de híbrido consegue economizar alguma energia com a recuperação do freio (KERS - KINECTIC ENERGY RECOVERY SYSTEM) através de seu alternador e de uma bateria bem maior do que uma bateria convencional veicular (a bateria convencional veicular tem 12 Volts e algo perto de 90 Ah de carga, enquanto que a de um Mild Hybrid tem normalmente 48 Volts e 50 Ah de carga).


Desta forma, não permite que o veículo ande somente com motor elétrico, mas ao mesmo tempo diminuindo bastante o consumo! Quem aí curte os carros elétricos e híbridos também?



​​​​​​​

45 visualizações

Pioneiros em serviços de manutenção exclusiva em Land Rover

social-01-512.png
Receba nossas novidades em seu e-mail!

SIGA NOSSO INSTAGRAM

@thespecialist_service

  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco

The Specialist © 2019 - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Setalha.com